segunda-feira, 14 de julho de 2014

O "TER" E O "SER"


Umas das formas de se determinar em que círculo nossa preocupação se encontra é distinguir entre o TER e o SER

O Círculo de preocupação vive cheio de TER.
" Ficarei feliz quando tiver acabado de pagar minha casa".
" Se eu pelo menos tivesse um chefe que não fosse tão ditador..."
" Se eu tivesse um marido mais paciente..."
" Se eu tivesse filhos obedientes... "
" Se eu tivesse um diploma..."
" Se eu tivesse mais tempo pra mim..."

O Círculo de Influência está cheio de SER:
Eu posso SER mais paciente, SER mais sábio, SER mais carinhoso. O foco dirige-se para o caráter.

Sempre que achamos que o problema está "lá fora", este pensamento em si é o problema. Damos ao que está lá fora o poder de nos controlar.
A mudança de paradigma precisa acontecer de "fora para dentro" - o que está lá fora precisa mudar antes que nós possamos mudar.

A abordagem proativa prescreve a mudança de "dentro para fora": ser diferente e, ao ser diferente, alterar positivamente o que está lá fora. Eu posso SER mais engenhoso, posso SER mais diligente, posso SER mais criativo, posso SER mais compreensivo.

"As vezes aguardamos a vida passar diante de nossos olhos esperando sempre alcançar algo que desejamos tanto TER e esquecemos muitas vezes de "SERmos" autores de nossa própria história com uma pequena mudança de pensamento, de atitude diante da vida, de percepção das oportunidades surgidas e de ir em busca dos sonhos, porém não sonhos distantes e sim sonhos palpáveis! " Fabrícia Reis.

Fonte: Livro os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - Stephen R. Covey


quinta-feira, 10 de julho de 2014

O PODER DA CAFEÍNA


Café; guaraná; erva-mate; chá; cacau; bebidas energéticas;




“O café coloca o sangue em movimento, e dele faz jorrar os espíritos motores; excitação que precipita a digestão tira o sono e permite manter o exercício das faculdades cerebrais durante um pouco mais de tempo.” Honoré de Balzac, Traité dês excitants modernes, 1839.


A DROGA
A cafeína é uma substância estimulante presente em mais de 60 espécies de plantas, isolada de grãos de café pela primeira vez em 1821. Ela é consumida em uma variedade ainda maior de alimentos, embora o café, o chá e os refrigerantes à base de cola sejam suas principais fontes.

A VIAGEM
O poder estimulante da cafeína é bem menor do que o de outras drogas com a mesma propriedade. Cerca de 200 mg (duas xícaras pequenas de expresso) são suficientes para deixar o cérebro mais alerta e melhorar a memória e a concentração.

COMO É USADA
Normalmente, é ingerida em bebidas ou alimentos feitos com plantas que contém a droga ou em alguns remédios feitos com ela. Em alguns países, é vendida em comprimidos ou em pó.

DURAÇÃO E EFEITO
O auge do efeito estimulante de uma bebida com cafeína acontece de 15 a 45 minutos após seu consumo. Em no máximo, quatro horas, ele acaba.

RISCOS IMEDIATOS
Nas doses em que a cafeína normalmente é consumida, é uma droga segura. Doses de 700 mg (sete xícaras de expresso) ou mais podem causar episódios de ansiedade e pânico, e de 1g, palpitação e arritmia cardíaca. Outros efeitos possíveis são irritação e nervosismo. Casos de overdose são possíveis, mas extremamente raros. Em geral, acontecem quando se ingere cafeína pura, em pó, já que a dose fatal equivale ao conteúdo de cerca de 100 xícaras de café expresso.

DEPENDÊNCIA
Os efeitos da cafeína diminuem após algumas semanas de uso contínuo, mas a estimulação que ela produz é o mais persistente. Quando esse efeito diminui, as pessoas costumam compensar, aumentando a dose ou a frequência do “cafezinho”. Beber uma xícara de expresso por dia é suficiente para ter síndrome de abstinência ao interromper o uso subitamente. Ela aparece de 12 a 24 horas depois da última dose e desaparece em, no máximo, dois dias. Os sintomas mais comuns são: sono, dor de cabeça e irritação. Apesar disso, muitos médicos não consideram a cafeína uma droga causadora de dependência, por que não desencadeia o consumo compulsivo ou descontrolado, não causa problemas sérios de relacionamento ou de saúde e quem quer parar de consumi-la consegue fazê-lo sem muita dificuldade.

Alguns números da CAFEÍNA:
“A cafeína é a droga psicoativa mais consumida no mundo”
Aproximadamente 80% da população mundial consome um produto com cafeína todo dia.

Como se consome cafeína?
No café: 71%
Em refrigerantes: 16%
No chá: 12%

Importante observar, que o ideal seja que a ingestão de substâncias que contém cafeína ocorra em doses menores. Algumas pesquisas apresentam possibilidades de danos como: problemas cardíacos, de estômago e osteoporose nos casos de uso exagerado das substâncias. Lembrando sempre que é melhor prevenir do que remediar. Vai um cafezinho aí?
Fabrícia Reis


Fonte: Almanaque das drogas – Tarso Araújo 2012.

Neurociências: Consumo e Dependência de Substâncias Psicoativas

Atualmente existem novos conhecimentos das neurociências sobre o consumo e a dependência de substâncias psicoativas (ou farmacodependências)...