sexta-feira, 26 de novembro de 2010

NEURÓBICA – Ginástica para o Cérebro


Neuróbica significa exercícios para o cérebro. 

A Neuróbica ou Ginástica Cerebral capacitará você a aprender mais rápido, fortalecer a concentração, o raciocínio, a memória e liberar a criatividade. Esta atividade procura proporcionar um espaço para o exercício da mente, tal como se fosse à prática de uma atividade física regular ou uma ida à academia.

A Neuróbica é muito diferente de outros tipos de exercício cerebral, que em geral envolvem quebra-cabeças, palavras cruzadas, exercícios de memória e várias espécies de testes. Em vez disso, os exercícios da Neuróbica usam os cinco sentidos de novas maneiras, a fim de aumentar o impulso natural do cérebro para formar associações entre diferentes tipos de informações.
Esse programa oferece ao cérebro experiências fora da rotina, usando várias combinações de seus sentidos - visão, olfato, tato, paladar e audição, além dos "sentidos" emocional e social.
As associações (juntar um nome a um rosto, ou um aroma a um alimento, por exemplo) são os blocos que constroem a memória e a base da maneira como aprendemos. Criar deliberadamente novos padrões associativos é uma parte fundamental do programa da Neuróbica.
Com a Neuróbica quebramos a rotina do cérebro deixando-o mais ativo para vencer os desafios no trabalho e nos estudos. Ela é o resultado prático dos estudos da Neurociência.
Fundamenta-se que, tal como o corpo, para se desenvolver de forma equilibrada e plena, a mente terá que ser treinada, estimulada e desenvolvida.
Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões. Não se trata de acrescentar novas atividades à sua rotina, mas de fazer de forma diferente o que você realiza diariamente.

Muitos exercícios neuróbicos desafiam o cérebro ao reduzir sua dependência da vista e audição, estimulando os sentidos menos usados do olfato, tato e paladar a desempenharem um papel mais proeminente nas atividades diárias. Ao fazer isso, circuitos quase nunca ativados da rede associativa de seu cérebro são utilizados, aumentando a flexibilidade mental.

O objetivo é afastar-se do presente e do local onde está através da imaginação. Quanto mais ricas forem as imagens mentais que criar, melhor será para as células nervosas envolvidas.



Dicas para treinar diariamente seu cérebro
1-Use o relógio de pulso no braço direito;
2-Ande pela casa de trás para frente;
3-Vista-se de olhos fechados; 
4-Estimule o paladar, coma comidas diferentes; 
5-Leia ou veja fotos de cabeça para baixo concentrando-se em pormenores nos quais nunca tinha reparado; 
6-Veja as horas num espelho; 
7-Troque o mouse do computador de lado;
8-Escreva ou escove os dentes utilizando a mão esquerda - ou a direita, se for canhoto;

9-Quando for trabalhar, utilize um percurso diferente do habitual; 
10-Quando for a um restaurante, tente identificar os ingredientes que compõem o prato que escolheu e concentre-se nos sabores mais subtis. No final, tire a prova dos nove junto ao garçom ou chef; 
11-Selecione uma frase de um livro e tente formar uma frase diferente utilizando as mesmas palavras; 
12-Experimente jogar qualquer jogo ou praticar qualquer atividade que nunca tenha tentado antes;
13-Compre um quebra cabeças e tente encaixar as peças corretas o mais rapidamente que conseguir, cronometrando o tempo. Repita a operação e veja se progrediu;

14-Experimente memorizar aquilo que precisa comprar no supermercado, em vez de elaborar uma lista. Utilize técnicas de memorização ou separe mentalmente o tipo de produtos que precisa. Desde que funcionem, todos os métodos são válidos;
15-Recorrendo a um dicionário aprenda uma palavra nova todos os dias e tente introduzi-la (adequadamente) nas conversas que tiver;
16-Ao ler uma palavra pense em outras cinco que começam com a mesma letra;

17-A proposta é mudar o comportamento rotineiro. Tente, faça alguma atividade diferente com seu outro lado do corpo e estimule o seu cérebro. Se você é destro, que tal escrever com a outra mão? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Neurociências: Consumo e Dependência de Substâncias Psicoativas

Atualmente existem novos conhecimentos das neurociências sobre o consumo e a dependência de substâncias psicoativas (ou farmacodependências)...